Invasão


Olá amigos, daqui fala-vos a Eevee!

Espero que tenham passado bem.

Eu sei que na semana passada vos falhei e tenho a certeza que a vossa semana foi muito mais vazia sem o episódio das aventuras da vossa coelha empresária favorita, mas já estou de volta das minhas férias de aniversário. E por falar nisso, começo este episódio com uma grande nota de agradecimento por todas as mensagens e todo o carinho que demonstraram!

Hoje decidi partilhar convosco uma inquietação minha - temos um animal muito estranho cá em casa. Um animal muito estranho, barulhento e chato, que decide aparecer sobretudo quando estou a tirar a sesta número 53 do dia (que todos os coelhos sabem que é a mais importante de todas!).

"Mas que raio de animal é esse, Eevee?" Essa é uma excelente pergunta à qual infelizmente receio não ter resposta - é um bicho escuro, gordo, que grita muito e tem uma alimentação muito estranha. Como se não bastasse, o raio do bichano parece ter uma espécie de adoração pelos meus humanos - deixa que o peguem ao colo e que o guiem puxando-lhe pela cauda!!!

Eu simplesmente não consigo perceber como é que alguém gosta de ser puxado pela cauda (se calhar isso explica os gritos!), ou pior, deixa que um humano o pegue ao colo! O que mais me faz confusão é o que ele come: o meu feno, o pó dos meus humanos e as minhas bolinhas (sobretudo as que eu deixo estrategicamente arrumadas debaixo da mesa da cozinha - o meu abrigo favorito). Até os meus tufos de feno ele “papa”, não faz sentido. Mas hoje mostrei-lhe quem manda amigos, hoje é que foi: Lá estava eu na minha vida toda relaxada a tratar da “número 53” quando lá chega o humano com o “papão” a gritar nos meus ouvidos. Normalmente fujo mas hoje enchi-me de coragem e ataquei-o, só que ele nem vacilou. Continuou a limpar o meu tapetinho e seguiu o seu caminho, já viram bem a audácia?!

Pouco depois regressou à sua toca - outra coisa extremamente estranha. Ele passa dias a fio encafuado no armário sem sair para beber água sequer. Ainda no outro dia fui falar com ele pela calada da noite para tentar perceber melhor o que faz ele aqui. Chamei pelo nome que os meus humanos lhe deram "Aspirador?" mas ele nem sequer me dirigiu a palavra… deve ter a mania!

E antes que digam que estou a ser injusta eu tentei imitá-lo - no outro dia a humana estava com uma espécie de pau com um feno vermelho na ponta a desarrumar as minhas bolinhas e os meus tufos de pelo (só me dão trabalho!) e fui lá espreitar para ver se percebia o encanto daquela poeirada toda… mas não aguentei, tive de fugir logo a correr, aquilo é absolutamente nojento! Ainda por cima tive de ouvir um “sai daqui Eevee!”...

Desengane-se quem pensa que isto fica por aqui, eu vou arranjar um esquema para me ver livre deste invasor esquisito. Alguma sugestão? Todas as ideias são bem-vindas, por isso, por favor, ajudem-me a delinear um plano de combate.

Para terminar numa nota alegre partilho convosco o meu entusiasmo com o dia da criança que se avizinha! Queria dar um brinquedo divertido aos meus humanos para eles se entreterem (e esquecerem-se do “papão”) mas estou sem ideias - o que aconselham? O que ofereceriam aos vossos humanos?

E já agora, o que gostariam vocês de receber neste dia da criança?

Publicado por Eevee


Deixe um comentário




x